20 de janeiro, segunda-feira

por Aquila Merces publicado 20/01/2020 06h33, última modificação 20/01/2020 06h33
Colaboradores: Por G1
Por G1
Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.

Candidatos que fizeram o Enem esperam uma resposta do governo sobre o erro nas notas. Atenção total na fronteira em Mato Grosso do Sul após a fuga de presos de uma facção brasileira no Paraguai. O que disse o príncipe Harry após perder o status da realeza. O drama de quem tenta se recuperar da intoxicação associada à cerveja da Backer em Minas. O BBB20 vem aí, e já sabemos quem vai entrar na casa mais vigiada do Brasil.

 Fuga em massa

 Mais de 70 integrantes de uma facção paulista fugiram de um presídio em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia na fronteira com o Mato Grosso do Sul, por um túnel. Autoridades do Paraguai disseram que há fugitivos brasileiros e paraguaios e investigam a participação de funcionários da prisão. Do lado de cá, o governo reforçou a segurança com bloqueios na fronteira e a polícia monitora as rodovias do estado.

 Falha no Enem

 O Ministério da Educação prometeu anunciar hoje uma solução para o erro nas notas do Enem. No sábado, após uma enxurrada de reclamações nas redes sociais, o ministro Abraham Weintraub admitiu "inconsistências". O governo não informou o número de candidatos prejudicados e no domingo disse que apura possíveis erros tanto na prova do 1º dia quanto na do 2º.

Estudantes estão preocupados porque amanhã começam as inscrições do Sisu, o sistema de seleção unificado para universidade públicas que usa as notas do Enem.

Virgínia Medina, 20 anos, tenta pela quarta vez entrar em medicina. "Meu medo é o erro não ser corrigido e eu ser prejudicada no Sisu. Foi um ano inteiro de investimento. Eu morei em outra cidade para fazer cursinho, paguei as aulas, estudei bastante e agora comecei a me preocupar, porque aquela nota não condiz com a minha preparação", diz a estudante, que fez prova em Viçosa (MG).

 

Cerveja contaminada

 

Famílias de vítimas contaminadas após beberem a cerveja Belorizontina, fabricada pela Backer, em Belo Horizonte, começaram as investigações após notarem os primeiros sintomas, como mal-estar e dores abdominais. A Vigilância Sanitária de Minas Gerais recolheu garrafas e a perícia confirmou que estavam contaminadas com dietilenoglicol, uma substância altamente tóxica, que a Backer nega usar. O Fantástico entrou em contato com parentes de algumas das 19 vítimas identificadas até agora. Um deles está internado em estado grave sem conseguir falar e sem se movimentar. A reportagem ainda conseguiu entrar na cervejaria e filmar os tanques interditados.


Regina Duarte

 A atriz Regina Duarte ainda não anunciou se aceita ou não o convite do presidente Jair Bolsonaro para assumir a Secretaria da Cultura. Ela substituiria Roberto Alvim, demitido após divulgar um vídeo com referências nazistas. Segundo a colunista Natuza Nery, Regina pediu para se reunir pessoalmente com Bolsonaro e ter uma conversa olho no olho.

Força da água

 

Lama invadiu prédio da Secretaria de Saúde de Alfredo Chaves, no Espírito Santo — Foto: Kaique Dias/ TV Gazeta Lama invadiu prédio da Secretaria de Saúde de Alfredo Chaves, no Espírito Santo — Foto: Kaique Dias/ TV Gazeta

Lama invadiu prédio da Secretaria de Saúde de Alfredo Chaves, no Espírito Santo — Foto: Kaique Dias/ TV Gazeta

Um temporal varreu o sul do Espírito Santo no fim de semana e provocou 6 mortes: 3 em Iconha e 3 em Alfredo Chaves, as cidades mais afetadas. Cerca de 400 pessoas estão fora de casa e bombeiros procuram desaparecidos. Em Iconha, uma passarela desabou e a enchente subiu até o 2º andar de um hospital.

Força da água arrastou carros em Iconha — Foto: Reprodução/TV GazetaForça da água arrastou carros em Iconha — Foto: Reprodução/TV Gazeta

Força da água arrastou carros em Iconha — Foto: Reprodução/TV Gazeta

Em Belo Horizonte, um forte temporal no domingo provocou alagamentos e colocou a cidade em alerta para possíveis deslizamentos. Algumas regiões tiveram, em duas horas, um terço da chuva esperada para o mês inteiro. À noite, moradores protestaram para cobrar ações da prefeitura.

 

Climão na família real

 

O príncipe Harry começa a colher as consequências da decisão de se afastar da realeza britânica. No sábado, a rainha Elizabeth II anunciou que o neto e Meghan Markle perderão seus títulos e, em consequência, deixarão de receber dinheiro público repassado pela coroa. Na prática, significa que eles não serão mais considerados membros da família real. Harry lamentou: "Nossa esperança era continuar servindo à rainha. Infelizmente, não foi possível". Isso me traz uma profunda tristeza."

 princípe Harry e sua esposa, Meghan, duquesa de Sussex, em 7 de janeiro, em Londres — Foto: Reuters/Toby Melville princípe Harry e sua esposa, Meghan, duquesa de Sussex, em 7 de janeiro, em Londres — Foto: Reuters/Toby Melville

princípe Harry e sua esposa, Meghan, duquesa de Sussex, em 7 de janeiro, em Londres — Foto: Reuters/Toby Melville

 

Davos

 

Começa nesta semana a 50ª edição do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça. O presidente Jair Bolsonaro cancelou sua participação no evento por questões de segurança, segundo o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros. Quem representará o governo brasileiro será a presença ministro da Economia, Paulo Guedes.

No encontro, líderes mundiais e chefes das maiores empresas do mundo discutem desenvolvimento econômico e crescimento global, mas também "Economias mais justas", "Como salvar o planeta", "Futuros saudáveis" e "Tecnologia para o bem".

Eleição na Bolívia

 

Luis Arce, ex-ministro da Economia, foi escolhido por Evo Morales para disputar a presidência da Bolívia no dia 3 de maio. O ex-presidente está refugiado na Argentina e reuniu em Buenos Aires o Movimento ao Socialismo (MAS), seu partido, para definir a chapa. O ex-chanceler David Choquehuanca será candidato a vice-presidente. Evo renunciou em novembro, pressionado por militares, após vencer votação marcada por denúncias de fraude. O ex-presidente vai coordenar a campanha do MAS mesmo do exterior.

 

Revolta nas ruas

 

Manifestante lança chamas a partir de spray contra policiais que cercam o Parlamento do Líbano, em Beirute, neste domingo (19) — Foto: Hassan Ammar/AP PhotoManifestante lança chamas a partir de spray contra policiais que cercam o Parlamento do Líbano, em Beirute, neste domingo (19) — Foto: Hassan Ammar/AP Photo

Manifestante lança chamas a partir de spray contra policiais que cercam o Parlamento do Líbano, em Beirute, neste domingo (19) — Foto: Hassan Ammar/AP Photo

O fim de semana foi de violentos protestos em Beirute, capital do Líbano. Manifestantes contrários ao governo e forças de segurança entraram em confronto tanto no sábado quanto no domingo. Mais de 400 pessoas ficaram feridas e o Exército foi acionado. Os protestos ocorrem desde outubro e já derrubaram o ex-premiê Saad Hariri, em meio a uma grave crise econômica no país.

Manifestante em Beirute, no Líbano, usa galho de árvore contra cerco policial, que revida com jatos d'água, durante protesto neste sábado (18) — Foto: Hassan Ammar/AP PhotoManifestante em Beirute, no Líbano, usa galho de árvore contra cerco policial, que revida com jatos d'água, durante protesto neste sábado (18) — Foto: Hassan Ammar/AP Photo

Manifestante em Beirute, no Líbano, usa galho de árvore contra cerco policial, que revida com jatos d'água, durante protesto neste sábado (18) — Foto: Hassan Ammar/AP Photo

 



Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.